Plantão de Notícias

Artigo Reflexão: “Desacomodados pelo Amor”

Rev. Adi Éber Pereira Borges †

“ Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção ”! Gênesis 12.12

Eu não tenho a menor dúvida e estou plenamente convencido de que Deus ama todas as pessoas, e por mais piegas que isso possa parecer, nesse tempo em que vivemos, é de suma importância dizer isso. Precisamos ser desacomodados por esse amor.

Abrão estava muito bem acomodado e instalado em sua terra e entre os seus familiares e conterrâneos. Era um homem comum que levava a vida como ela é. Era uma família como outra qualquer, mas mal sabia ele que sua vida mudaria radicalmente em breve.

Com o que aconteceu daí pra frente, se tornou um dos nomes mais conhecidos e mais falados de toda a história humana. E sua importância não está em ser conhecido, mas na sua disponibilidade de obedecer e confiar nas promessas que lhe foram feitas. Prestemos atenção porque não foi qualquer pessoa que lhe fez as promessas, mas o Deus Criador do Universo. Não valeria a pena confiar?

Apesar de toda a temática central dessa história ser a fé de Abrão, podemos também ver a manifestação do tema do amor, e é sobre isso que queremos pensar.

Abrão foi desacomodado de sua vida pacata em Ur dos Caldeus por causa do amor que Deus tinha por ele e por toda a humanidade, essa foi a força motriz que levou Deus a chamar e enviar Abrão para outras terras, a partir dele Deus queria abençoar todas as famílias da terra. Era preciso mudar, mexer, desacomodar.

Assim como na antiguidade, hoje também precisamos desses abalos sistêmicos provocados pelo amor. Acabamos de assistir um desses abalos quando milhares de pessoas se mobilizaram para ajudar e socorrer famílias litorâneas em nosso país e no exterior. Calamidades e tragédias que não desejamos que aconteçam, mas que nos tiram da nossa zona de conforto e nos fazem ter atos de amor e solidariedade.

E esse é o verdadeiro amor; não aquele amor fingido, com sorriso amarelo, que tira conclusões precipitadas, e que por puro preconceito abandona o amigo ou a amiga por causa de um pressuposto pensar diferente. Isso não é amor e não é amigo e amiga.

Temos a chance de sermos bênçãos de amor em nosso tempo. Podemos ser, em nossos guetos de convivências, a abertura ao projeto amoroso de um Deus fiel. Devemos ser o desassossego de uma vida marcada pelo egoísmo, pela individualidade e pela violência. Uma vez desacomodados pelo amor, e não pelo abandono e ódio, influenciaremos nossa sociedade para viver o projeto de Deus. Ele nos amou incondicional e infinitamente.

Que nesse período da Quaresma sejamos desacomodados para e pelo Amor.

Rev. Adi Éber Pereira Borges †

Compartilhem, deixe seu Like

1
Olá !
Fale Conosco.
Powered by