Plantão de Notícias

Dono de Bar é preso em Birigui acusado de tráfico, após denúncia anônima

Foto: Diego Alves

Da redação Diego Alves

Um homem de 48 anos, proprietário de um Bar em uma área rural, de Birigui (SP), foi preso acusado de tráfico de drogas, na tarde de ontem (18), após uma denúncia anônima. A droga foi localizada em potes, nos fundos do estabelecimento em uma prateleira. O dono do bar negou a comercialização de drogas. Um funcionário de 23 anos, foi até o distrito policial alegando ser ele o proprietário do entorpecente, durante as oitivas.

Segundo informações apuradas pela nossa reportagem, policiais militares Cabo Michel e Cabo Marchi receberam uma denúncia via copom nesta última terça-feira (18), que um indivíduo estaria praticando o tráfico de drogas no seu bar, situado na Rua Francisco Tibério, em uma área rural de Birigui (SP). A denúncia ainda detalhava que as drogas ficariam armazenadas em uma prateleira e descrevia as características do acusado como sendo uma pessoa branca, cabelos grisalhos, bigode, magro e com tatuagem no braço.

Drogas

Diante da denúncia, a equipe se deslocaram até ao local indicado e lá se depararam com o proprietário do Bar, identificado pelas iniciais R.C.C, de 48 anos, tendo ele sido cientificado do teor da denúncia, e de pronto negado a prática do tráfico e autorizado que fosse feita vistoria no estabelecimento. Segundo os militares ainda no interior do bar, aos fundos, havia uma prateleira de metal e nela estavam duas latas velhas de Nescau de 370 gramas e ao serem vistoriadas, em uma delas havia a quantia de R$ 25,00 (vinte e cinco reais) em moedas e na outra foram encontrados R$ 372,00 (trezentos e setenta e dois reais) em notas diversas, uma latinha de Mentos onde estavam 11 (onze), pinos de cocaína, uma embalagem plástica branca contendo dez pedras de crack e soltos na mesma lata estavam doze trouxas de maconha.

Negou

Realizada a revista pessoal no proprietário, foi localizada a quantia de R$ 200,00 (duzentos reais) em dinheiro. Questionado sobre os fatos, o proprietário novamente negou a prática do tráfico de drogas, e alegou desconhecer como aquelas substâncias foram parar em uma prateleira do seu bar. Diante dos fatos, foi dada a voz de prisão em flagrante delito e ele conduzido ao plantão policial.

Já pelo plantão policial, compareceram os advogados Dr° Jerônimo José dos Santos Junior, OAB 310.701 e a Drª Veridiana Cardoso de Oliveira OAB 421.788, porém, o Dr. Jerônimo se ausentou antes de acompanhar o interrogatório do acusado, vez que precisava acompanhar uma audiência. A oitiva do proprietário do estabelecimento comercial foi acompanhado pela advogada Drª Veridiana, sendo que o proprietário negava praticar o tráfico de drogas, e afirma que desconhecia que havia drogas em seu bar. Disse ainda ser proprietário do bar, porém, seria muito raro que esteja por lá, vez que trabalha com obras e tem duas pessoas que ficavam no bar, um durante o dia e outro que fica durante a noite.

Ainda segundo o acusado, foi ao bar nesta terça-feira (18), com o intuito de verificar o estoque de bebidas e estava fazendo uso do banheiro quando os policiais militares chegaram ao local e o cientificaram sobre o teor da denúncia. Segundo ele, prontamente teria negado praticar o tráfico de drogas e autorizou que realizassem busca pelo local. Afirmando que também se surpreendeu quando os policiais alegaram terem encontrado porções de droga em uma prateleira situada aos fundos do bar. Durante a oitiva ele disse ainda que a droga não é sua e que “poderia ser” do rapaz que trabalha lá a noite, o qual, compareceu na unidade policial afim de quer prestar suas declarações sobre os fatos.

Funcionário

Ainda com o que foi apurado, neste momento, H.G.A.S, de 23 anos, solicitou ser ouvido sobre os fatos, sendo que a oitiva também foi na presença da advogada Drª Veridiana. Em sua oitiva, ele afirmou que compareceu espontaneamente na delegacia para prestar declarações sobre os fatos após ter tido ciência que o dono do bar, havia “rodado”. Afirmou ainda trabalhar no bar informalmente, segundo ele das 19h00 até as 02h00 ou 03h00, conforme o movimento do dia. Disse ainda, que o pagamento é proporcional ao valor das bebidas que vendiam durante a noite e costuma receber entre R$ 80,00 a R$ 90,00 por dia trabalhado, muito embora, segundo ele, tenha dias em que não recebeu nenhuma quantia, vez que não ocorreu vendas.

Dívida

O jovem relatou, que nunca foi preso anteriormente. Sobre os fatos, “disse ao delegado que uma pessoa cujo nome não gostaria de falar lhe pagou uma dívida na segunda-feira (17) em drogas, tendo entregado pinos de cocaína, pedaços de maconha e porções de crack, as quais segundo ele, iria vender cada uma a R$ 10,00 (dez reais). O jovem ainda disse, que não chegou a vender nenhuma droga na data que adquiriu, e afirmou que iria “começar a vender” nesta terça-feira (18). Questionado sobre as características das embalagens dos entorpecentes, ele disse que, os pinos de cocaína não se lembrava se eram brancos ou verdes, porém acredita que fossem uns dez e estavam guardados em um potinho de Trident de cor preta. Ainda segundo ele, as porções de crack estavam embaladas em plásticos verde e estavam guardadas em um potinho de Trident de cor branca, por fim, as porções de maconha estavam embaladas em pedaços de sacola plástica verde e estavam guardadas em um pote de Nescau.

Disse ainda, que não havia nenhuma quantia de dinheiro junto com a droga e acredita que algum dinheiro que possa ter sido localizado pelos policiais seja do bar. Afirma por fim que o acusado, proprietário do Bar era inocente e que o mesmo desconhecia que havia drogas no bar.

Preso

Diante dos fatos e após colher as oitivas, o delegado responsável pelo plantão DR° Eduardo Lima de Paula ratificou a prisão do proprietário do bar em flagrante delito por tráfico de drogas. O jovem apenas foi ouvido e liberado, ele será investigado.

Compartilhem, deixe seu Like

1
Olá !
Fale Conosco.
Powered by