Plantão de Notícias

Em nota, Fugini admite uso de ingrediente vencido: “Erro operacional”

Da redação Diego Alves

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciar a suspensão da fabricação, comercialização, distribuição e uso dos produtos da marca Fugini em estoque em supermercados, na quarta-feira (29/3), a empresa admitiu, por meio de nota publicada nesta quinta-feira (30/3), o uso de corante vencido em um lote de maioneses produzido na fábrica de Monte Alto (SP).

De acordo com o documento, a Fugini admite a auditoria citada pela Anvisa “mesmo não concordando com algumas alterações determinadas”. De acordo com o que foi apurado, o documento foi enviado, também, a duas redes de varejo.

Uma das medidas tomadas é o recall de lotes de maionese produzido na fábrica no período de 20 de dezembro de 2022 a 21 de março de 2023, com prazo de validade em dezembro de 2023 — com o número de lote iniciado em 354 — e qualquer outros lotes com prazo de vencimento entre janeiro e março de 2024. O recall foi exigido pela Anvisa pela Resolução (RE) 1.051, publicada nesta quinta-feira (30/3)

“Por um erro operacional, esse lote de produtos foi fabricado com adição do ingrediente urucum (agente natural para dar cor ao produto) que representa 0,003% da formulação que estava fora da sua data de validade”, explica o documento.

A Fugini também cita que está “direcionando toda nossa energia para recuperar o tempo perdido e adaptar nossa fábrica às exigências do órgão fiscalizador”.

A empresa também fez uma defesa do negócio, na qual afirmou que “sempre cumpre” com todas as nossas obrigações sociais, legais, trabalhistas, fiscais e tributárias e que é uma “locomotiva do desenvolvimento do agronegócio do Brasil e principalmente dos estados de São Paulo e Goiás e assim pretendemos seguir”.

No fim do comunicado, a empresa solicitou “compreensão e apoio” de todos os “amigos, consumidores, fornecedores, produtores rurais e sociedade em geral que em todos esses anos nos acompanharam e estiveram juntos conosco”. “Continuaremos em frente”.

Entenda

Ao anunciar a suspensão da venda dos alimentos produzidos pela empresa, a Anvisa afirmou que constatou, em auditoria feita em Monte Alto (SP), falhas graves dos parâmetros de qualidade da agência fiscalizadora relacionadas à higiene, controle de qualidade e segurança das matérias-primas, além do controle de pragas, rastreabilidade, entre outros.

“Conforme o Código de Defesa do Consumidor, alimentos vencidos, incluindo suas matérias-primas, são considerados impróprios para o consumo, e a sua exposição à venda ou ao consumo é considerada infração sanitária. Assim, o recolhimento dos alimentos visa retirar do mercado produtos que representem risco ou agravo à saúde do consumidor”, detalha a resolução da Anvisa.

A agência fiscalizadora também orienta estabelecimentos comerciais e consumidores que estiverem com produtos dos lotes vencidos que entrem em “contato imediato” com a Fugini, que “deverá realizar seu recolhimento”.

Correio tentou contato com a Fugini, mas os telefones estão ocupados. Um e-mail foi enviado para o endereço eletrônico disponibilizado no site da empresa, mas até a última atualização desta matéria o Correio não obteve resposta. O espaço permanece aberto para eventual manifestação.

Leia a nota da Fugini na íntegra:

“Esclarecimento ao Público

A Fugini Alimentos é uma empresa inovadora e referência no setor de Alimentos, com 25 anos de atuação no mercado nacional e internacional, por vários anos seguidos tem recebido do mercado o reconhecimento de Marca de Molho de Tomate nº 1 do Brasil e Marca de Vegetais nº 2 do Brasil e emprega diretamente em suas fábricas, área comercial, trade marketing e inteligência em todo Brasil aproximadamente 6.000 colaboradores diretos e indiretos.

Sempre transparente, vem a público informar que passou por um processo de auditoria em sua planta de Monte Alto que gerou uma ordem para alteração de alguns processos e procedimentos. Mesmo não concordando com algumas alterações determinadas, respeitamos e, rapidamente, alteramos os pontos indicados.

Constantemente recebemos auditorias de agentes fiscalizadores e, como em toda auditoria, sempre há algo a melhorar. Sempre nos adaptamos e respeitamos as solicitações.

Estamos direcionando toda nossa energia para recuperar o tempo perdido e adaptar nossa fábrica às exigências do órgão fiscalizador.

Reiteramos que toda nossa linha de produtos segue sendo comercializada normalmente nos pontos de varejo, com a qualidade de sempre.

Comunicamos ainda que, de acordo com a Resolução – RE 1.051/2023 Anvisa, publicada em 30 de março de 2023, estamos realizando um recall somente da linha maioneses, conforme explicado abaixo:

Estamos providenciando um RECALL do produto maionese com marca FUGINI produzida na planta de Monte Alto/SP no período de 20/12/2022 a 21/03/2023, ou seja, cujo prazo de validade seja dezembro de 2023, com número de lote iniciando-se a partir do número 354, e qualquer lote com prazo de validade em janeiro, fevereiro ou março de 2024.

Por um erro operacional, esse lote de produtos foi fabricado com adição do ingrediente urucum (agente natural para dar cor ao produto) que representa 0,003% da formulação que estava fora da sua data de validade.

Sempre cumprimos com todas as nossas obrigações sociais, legais, trabalhistas, fiscais e tributárias, nos posicionado como uma locomotiva do desenvolvimento do Agronegócio do Brasil e principalmente dos estados de São Paulo e Goiás, e assim pretendemos seguir. Ocupamos hoje a posição 248 no ranking do agronegócio brasileiro divulgada pela revista Globo Rural.

Contamos com a compreensão e o apoio de todos nossos amigos, consumidores, fornecedores, produtores rurais e sociedade em geral que em todos esses anos, nos acompanharam e estiveram juntos conosco. Continuaremos em frente!

Fonte: Correio Brasiliense

Compartilhem, deixe seu Like 👍

1
Olá !
Fale Conosco.
Powered by