Plantão de Notícias

ALUNO SE INSPIRAVA EM FILME “TIROS DE COLUMBINE” PARA PLANEJAR SUPOSTO ATAQUE EM ESCOLA ESTADUAL DE BIRIGUI (SP).

Imagem reprodução.

Da redação Diego Alves

Um caso que aconteceu no em uma escola em Birigui (SP) em março 2022, vem sendo questionado em redes sociais nesta segunda-feira (02), segundo o que foi apurado pela equipe do Birigui notícias da hora, 3 alunos de uma escola estadual de Birigui (SP), sendo adolescentes estariam organizando um possível massacre inspirado no filme “Tiros de Columbine”.

Boletim de ocorrência

Consta no boletim de ocorrência, que um homem que atua como Conselheiro Tutelar em Birigui (SP), compareceu no distrito policial relatando que o Conselho Tutelar da cidade foi notificado através da direção de uma Escola Estadual, no sentido de que, no dia 18 de março houve uma reunião, a fim de tratar, exclusivamente, sobre um assunto interno do colégio no sentido de que, supostamente, alunos estariam planejando um atentado no colégio.

Ainda consta que o planejamento em questão tratava-se de uma “chacina” que ocorreria no colégio, comandada por três alunos. Uma mãe de um aluno que estuda na escola, esclareceu aos membros presentes na reunião a situação que seu filho está passando. Ela afirmou que, seu filho estaria passando uma situação desagradável. A mãe fazia referência a um dos alunos que supostamente estaria organizando a chacina, relatou que, um amigo deste aluno, coagiam e ameaça alguns alunos, para que, estes juntamente com outros alunos fizessem um massacre na escola.

A Diretora da escola, falou sobre um bilhete encontrado na escola, e sobre as referências apontadas no bilhete, e solicitou o Agente de Organização Escolar, que falasse sobre o filme , a qual o aluno apontava no bilhete, o nome do filme : “Tiros em Columbine”.

Sobre o filme

Baseados em fatos reais o Documentário do jornalista norte-americano Michael Moore sobre a violência nos EUA, especialmente na cidade e escola americanas (Columbine) onde dois adolescentes mataram a tiros professor e colegas.

Há 22 anos, em 20 de abril de 1999, na cidade de Littleton, no estado de Colorado, nos Estados Unidos, dois estudantes invadiram a Columbine High School e começaram aquele que foi um dos primeiros massacres em escola a chocar o mundo.

Imagem reprodução do ataque em 1999 em escola na cidade de Littleton, no estado de Colorado, nos Estados Unidos,

“Lista vermelha”

A agente fala sobre o filme e informa que o aluno está utilizando os esteriótipos do personagem do referido filme. A mãe que teve o filho coagido informou ainda, que este aluno possuía uma lista de nomes chamada de “lista vermelha” , a qual aponta nomes de pessoas que estavam sendo ameaçadas de morte , dentro os nomes , apontados na lista estão o nome da senhora Diretora.

Segundo ainda boletim de ocorrência, o adolescente que teria escrito o bilhete e montado toda essa “lista vermelha”, foi identificado e o genitor de um dos alunos que reside em São Paulo (SP), veio da capital e retirou o filho da escola e o levou para São Paulo (SP).

Investigação

Como os envolvidos são adolescentes o caso esta sendo tratado como ato infracional de ameaça pela Polícia Civil, segundo os policiais  que investigam o caso, nenhum dos envolvidos tinha acesso fácil a armas, considerando a pesquisa de familiares dos envolvidos.

Os adolescentes envolvidos e a diretora do colégio estão sendo ouvidos e em breve o delegado responsável pretende relatar o procedimento à Vara da Infância e Juventude para as devidas providências.

A página Birigui notícias da hora, gostaria de deixar claro que o ocorrido aconteceu em Março deste ano de 2022 e, o caso está sendo investigado. Os alunos foram identificados, não trazendo riscos ao demais alunos da escola, que segue em segredo de investigação, para melhor apurar os fatos.

NOTA DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

Caso ocorreu em Março e todas as autoridades pertinentes ao fato atuaram na investigação, resultando de que tudo não teria passado de uma brincadeira de mau gosto.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo repudia toda e qualquer forma de agressão e de incitação à violência dentro ou fora das escolas. A Pasta, que já está tomando todas as providências restaurativas que preservem o direito à Educação, conta com o Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar (Conviva SP), composto por projetos e ações articuladas entre Convivência e Colaboração; Articulação Pedagógica e Psicossocial; Proteção e Saúde e Segurança Escolar. Todos os casos que fogem à normalidade do ambiente escolar, como agressões e vandalismos, são registrados na Plataforma Conviva SP – Placon, sistema utilizado para acompanhamento de registro de ocorrências escolares na rede estadual de ensino.

Neste ano a Seduc-SP está trabalhando na expansão do escopo do programa Psicólogos na Educação, o atendimento que ocorria online desde o ano letivo de 2021 para todos os professores e alunos será também, neste ano, presencial nas Diretorias de Ensino de Araçatuba e Birigui e em toda rede estadual. Além disso, haverá reforço do policiamento nas escolas, em parceria com a Secretaria da Segurança Pública.

1
Olá !
Fale Conosco.
Powered by