Plantão de Notícias

Prefeitura de Birigui inicia trabalho de prevenção e combate ao bicho barbeiro

Da redação Diego Alves

A Secretaria de Saúde de Birigui está realizando trabalho de prevenção e combate ao bicho barbeiro, transmissor da doença de Chagas. As atividades de poda das palmeiras com pesquisa do triatomíneo (barbeiro) foram iniciadas na praça Governador Pedro de Toledo e seguem nesta quarta-feira (07/06) no mesmo local.

O trabalho é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h. e irá seguir ao longo de todo este mês de junho. Constam no cronograma para receber o serviço de busca ativa: as praças James Mellor; Plácido Negrucci; avenida Nelson Calixto; e Escola Municipal Roberto Clarck.

De acordo com agente de endemias da Divisão Municipal de Controle de Vetores, Rosilene Oliveira Montanholi, outros dois pontos estão sendo estudados para serem incluídos no cronograma.

A ação conta com o apoio técnico do CCD (Centro de Controle de Doenças) de Araçatuba e a parceria da Secretaria Municipal de Serviços Públicos.

Durante a poda, os insetos barbeiros encontrados são recolhidos pelos profissionais e encaminhados para o laboratório da CCD em Mogi Guaçú (SP), que fará a análise para saber se estão contaminados ou não com o protozoário Trypanossoma cruzi, agente causador da doença de Chagas.

“Há mais de 25 anos Birigui não registra casos de insetos contaminados. Mas devemos continuar atentos, por isso, fazemos esse trabalho anualmente para monitoramento e controle do bicho barbeiro”, disse Rosilene.

ETAPAS DA PESQUISA

A agente municipal de endemias explica que a pesquisa possui três etapas: a poda das palmeiras para retirada dos resíduos de ninhos, análise do material recolhido e a pulverização das palmeiras onde os barbeiros são encontrados. O trabalho não é realizado nas palmeiras com ovos ou filhotes nos ninhos.

“Estamos fazendo o mutirão para pesquisa do inseto nas palmeiras desses pontos definidos como prioritários, por existirem a presença de pombos e maritacas, que trazem o barbeiro em meios as suas penas. O inseto se abriga nos ninhos e se alimentam do sangue das aves”, comentou Rosilene.

Moradores da cidade e até da zona rural que encontrarem o inseto devem colocá-lo em recipiente plástico e levá-lo até a Divisão de Controle de Vetores (no prédio da Secretaria de Saúde) para que seja enviado para análise. É necessário proteger a mão com luva ou saco plástico para fazer a captura. Informações: (18) 3643-6274.

Compartilhem, deixe seu Like

1
Olá !
Fale Conosco.
Powered by