Plantão de Notícias

Santa Casa de Araçatuba é incluída em programa do Ministério da Saúde para reduzir superlotação do Pronto-Socorro

Compartilhem, deixe seu Like

A Santa Casa de Araçatuba é um dos 160 hospitais públicos e filantrópicos do país que foram escolhidos para integrar o 8º ciclo do Lean nas Emergências, um projeto do Ministério da Saúde desenvolvido por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi/SUS), executado em parceria com os hospitais Beneficência Portuguesa de São Paulo, Moinhos de Vento e Sírio-Libanês .

O objetivo do programa é a redução da superlotação nas urgências e emergências de hospitais públicos e filantrópicos do país. Para isso, utiliza a metodologia Lean de gestão, que parte dos princípios da produção enxuta para obter otimização dos fluxos de atendimento e aumento da oferta e qualidade dos serviços.

A implementação do projeto foi iniciada nesta semana com a vinda à Santa Casa, do médico Rodrigo Sanches Garcia e da especialista em processos Maria Cláudia Piccolo Barbosa, ambos do Hospital Sírio Libanês, para a primeira das visitas quinzenais programadas para os próximos seis meses. Os encontros que também ocorrerão de forma remota visam capacitar a equipe interna, identificar oportunidades e implementar ações para melhorias do Pronto-Socorro da Santa Casa de Araçatuba.

A unidade é a porta de entrada de aproximadamente 90% das internações de pacientes do SUS realizadas pelo hospital. No ano passado foram realizados 20.658 atendimentos. Com média mensal de 1,8 atendimentos, o Serviço de Urgência e Emergência registra superlotação diariamente.

Reduzir a superlotação e o tempo médio de passagem dos pacientes em atendimento de urgência é a meta do Lean. O médico Rodrigo Sanches Garcia, consultor do projeto, explica que, “trabalhamos com indicadores do Proadi do Ministério da Saúde, que visam diminuir o tempo médio de permanência e o tempo de passagem do paciente pelo pronto-socorro, através de tomadas de decisões mais rápidas e precisas, para que o paciente possa ser alocado em local adequado à assistência que precisa”.

Em cinco anos de atuação no país, o Lean conseguiu atingir médias de reduções de 28% nas taxa de superlotação, 46% no tempo médio de passagem de pacientes em atendimentos de urgência e emergência até a alta e 37% no tempo médio de acesso ao leito de internação hospitalar.

“Isso é importante para o hospital que vive superlotação extrema, muitas vezes acima de 100% da capacidade do pronto-socorro, com pacientes internados nesta unidade por falta de leitos nas enfermarias e UTIs do hospital. Para isso é necessário desospitalizar mais rápido para o oferecer assistência em leito adequado à necessidade dos pacientes que aguardam no pronto-socorro”, define o diretor técnico, Carlos Mori.

Durante a reunião realizada para oficializar o inicio do Lean nas Emergências, o provedor da Santa Casa de Araçatuba, Petrônio Pereira Lima pediu aos profissionais envolvidos no projeto “ que aproveitem esse momento impar para colocarmos o nosso hospital no patamar que precisa, através de uma consultoria importante que a instituição está recebendo gratuitamente”.
Número não batem

A análise inicial que os consultores do Lean fizeram dos números do Pronto-Socorro revelou o principal diagnóstico dos problemas de atendimento que a unidade enfrenta há vários meses: interna pacientes em proporção muito acima das altas hospitalares efetuadas.

A média diária é de 54 internações de pacientes em Urgência e Emergência e 43 altas hospitalares. Ao falar sobre a desproporção desses dois indicadores, a especialista em processos do Hospital Sirio-Libanês, Maria Cláudia Piccolo Barbosa disse que se trata de um diagnóstico inicial “ mas já foi possível avaliar que a redução de um dia na taxa de permanência ajudará oferta e procura baterem”.

Na opinião do diretor técnico da Santa Casa de Araçatuba, Carlos Mori, reduzir um dia na taxa de desospitalização envolve a sincronia das equipes multidisciplinares envolvidas na rede dos serviços necessários à assistência aos pacientes. “ É necessário que todos estejam engajados, sem esse comprometimento não conseguiremos avançar”, definiu Mori.

Os consultores do Lean estiveram no Pronto-Socorro da Santa Casa de Araçatuba para conhecer a dinâmica dos fluxos da unidade. Coletaram números sobre os tempos utilizados em todos os processos desde acolhimento do paciente até sua alta ou internação, passando pela coleta de materiais para exames e os resultados, o diagnóstico pelo plantonista e a chegada do especialista para avaliação.

Esses dados serão primordiais para o Lean consolidar o diagnóstico sobre a superlotação e tempo de permanência e para implantação do projeto e indicar os meios para solucionar os problemas. “No desenvolvimento deste projeto vamos identificar toda a rede de atendimento interna, da entrada do paciente com o preenchimento da ficha de internação e classificação de risco à avaliação médica, realização de exames, avaliação de especialista e internação”, explica Carlos Mori.

No período de vigência do Lean, que inclui também visitas ao Hospital Sirio-Libanês pelos integrantes da equipe da Santa Casa de Araçatuba, os consultores vão oferecer as ferramentas necessárias para a capacitação profissional e treinamento que vão possibilitar a rotatividade no hospital

Compartilhem, deixe seu Like

1
Olá !
Fale Conosco.
Powered by